GOVERNO DE SP

São Paulo: um Estado de oportunidades pós-pandemia

Secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi, aponta crescimento econômico do Estado


2022-04-16T00:45:00




Secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi, afirma que o estado continuou crescendo na pandemia
Secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi, afirma que o estado continuou crescendo na pandemia
Apesar de todas as dificuldades econômicas, políticas e sociais enfrentadas em dois anos de pandemia, o Estado de São Paulo continuou crescendo. É o que afirma Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, um dos apoiadores do Agenda SP 2022, projeto de palestras realizado pela OA Eventos, empresa do Grupo EP, e que acontece no primeiro semestre deste ano. 

Marco Vinholi aponta como consequência da pandemia a inserção da tecnologia de forma intensa na vida das pessoas e na gestão pública, possibilitando o advento do teletrabalho, da telemedicina e das cidades inteligentes, além de contribuir para um acúmulo de experiências na gestão do Estado. "Uma lição importante da pandemia é que as soluções quando realizadas individualmente são muito mais difíceis do que quando organizadas de maneira conjunta, entre municípios e estado". A economia de São Paulo cresceu cinco vezes mais que a do Brasil, com PIB (Produto Interno Bruto) acumulado de 7,5% de 2019 até o terceiro trimestre de 2021, segundo a Fundação Seade
 
Durante esse período o governo do Estado manteve, também, escritórios em Xangai (China), em Dubai (Emirados Árabes Unidos), em Munique (Alemanha) e em Nova York (Estados Unidos) a fim de atrair recursos internacionais para São Paulo. "Essa iniciativa trouxe um investimento de 54 bilhões de reais para o estado. Mesmo quando o Brasil sofreu uma retração econômica, São Paulo continuou crescendo", diz Vinholi.
 
Essa relação com o exterior tem sido importante, também, para lidar com os impactos causados pela guerra entre a Ucrânia e a Rússia, principalmente no setor agrícola. O governo, cujo carro chefe é a agricultura, busca soluções que possibilitem um avanço econômico para o setor. "Nós temos feito grandes investimentos para oferecer um resultado prático ao nosso agricultor".
 
Marco Vinholi comenta sobre o processo de descentralização econômica da capital. Ele esclarece que as regiões metropolitanas do estado tiveram um crescimento intenso ao longo dos anos e que esse processo é uma tendência. "Esse crescimento do desenvolvimento econômico e da qualidade de vida tem sido muito presente no processo de regionalização que a gente percebe em São Paulo".
 
Em dezembro de 2021, o secretário de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo lançou o livro "O Novo Municipalismo", que propõe a consolidação das regiões do estado com 32 unidades administrativas. Essas unidades são classificadas como regiões metropolitanas, agrupamentos urbanos e regiões de estado. A proposta surge 40 anos após o ex-governador André Franco Montoro dividir o estado em regiões administrativas, dessa vez à luz do Estatuto da Metrópole e do Estatuto da Cidade.
 
"Nós chegamos à conclusão de que as pessoas moram na cidade, mas vivem nas regiões, podendo estudar, trabalhar, realizar compras e cuidar da saúde em cidades vizinhas", explica Vinholi. Com esse novo modelo, cria-se um conselho formado pelo governo do estado, pela prefeitura municipal e pela sociedade civil e estabelece-se um fundo de desenvolvimento para a região, visando projetos de interesse comum. Para ele, essa governança regional beneficiará diretamente os municípios.